"SERIEDADE E TRANSPARÊNCIA"

Entrevista com italiana reconhecida que mora na Itália

Está pensando em se mudar para a Itália? Leia esta entrevista com uma de nossas clientes, brasileira e reconhecida italiana que mora na Itália há seis anos e veja o que ela sugere antes de partir!

O Início

1) Há quanto tempo mora na Italia?
Moro na Itália há 6 anos.

2) Por que decidiu morar na Itália?
Depois de reconhecida a minha cidadania, pensei que era a oportunidade que precisava para poder mudar de vida, visto que não tinha grandes expectativas no Brasil. Tenho parentes que moram na Europa há muitos anos, então decidi me aventurar também. Convenci meu marido e viemos.

3) Qual era seu nível de italiano na chegada e qual você acha que seria o ideal para quem está pensando em morar na Itália?
Antes de vir para a Itália, tive aulas com uma professora particular por 6 meses. Isto me deu uma base para conseguir me comunicar um pouco, mas se eu tivesse planejado melhor teria estudado por pelo menos um ano antes de vir. Além disso, se você não falar italiano, encontrar um emprego fica bem difícil. Em praticamente todas as cidades existem cursos de italianos gratuitos para estrangeiros, portanto minha sugestão é chegar e já se matricular em um curso.

“Viver no exterior é difícil!”

4) Quais foram as maiores dificuldades?
Além da língua, aprender desde o zero como funcionam os procedimentos mais básicos como abrir conta em banco, fazer documentos, etc. A Itália é um país muito burocrático e nem sempre funciona muito bem na prática, por isso me bati um pouco no começo. Ter uma empresa ou pessoa para dar um apoio no início é fundamental. E por isso agradeço a Santanna pela Assessoria a Distância, pois já não bastasse o choque cultural que tivemos, fazer tudo que precisavamos para nos instalar aqui sem ajuda teria sido bem mais difícil.

5) Você sofreu algum tratamento diferenciado por ser estrangeira?
Durante estes seis anos aqui encontramos italianos gentis, italianos grosseiros, outros estrangeiros gentis e também estrangeiros grosseiros. Como em todo lugar, estamos lidando com pessoas. Já encontramos pessoas que fingiam não nos entender por conta do nosso sotaque, mas em contra partida, encontramos pessoas muito pacientes conosco. A questão é que viver no exterior é difícil, mas você precisa se concentrar no seu objetivo principal, e encarar as situações como aprendizado.

6) Como está a situação atual da Itália com relação a conseguir um emprego?
Isto depende da área que você trabalha. Meu marido por exemplo era designer no Brasil. Apesar de muitas tentativas, contatos e envios de currículo, não conseguiu trabalhar nesta área. Conseguiu emprego somente quando teve a indicação de um amigo. Então, digo que é difícil fazer a mesma coisa que se fazia no Brasil. É necessário se adaptar e entender que em todas as áreas de emprego você vai estar disputando uma vaga com um italiano que terá prioridade.

“Passei por dois partos aqui e paguei muito pouco.”

7) Quais os pontos positivos de morar na Itália?
A comida realmente é maravilhosa e se come muito bem sem gastar muito. O que se compra no mercado é comida de qualidade, porque eles prezam muito por isso. Existe muita variedade de verduras e legumes. Adoro viajar de trem e dá para fazer viagens bem em conta dependendo de onde vai e quando. Existem muitas áreas verdes e vários parquinhos e atividades para crianças, principalmente nas cidades maiores. Aqui com certeza é mas seguro que no Brasil, porém ao contrário do que se pensa, existe roubo de carros, furtos e as vezes as viagens de trem podem ser desconfortáveis visto que existem pessoas pedindo dinheiro e de olho na sua bolsa.

8) O sistema de saúde funciona? Existem convênios privados?
Funciona em partes. Para crianças é excelente. Passei por dois partos aqui e paguei muito pouco. Somente alguns exames foram cobrados, e o hospital foi totalmente gratuito assim como a anestesia. A pediatra também é gratuita, porém o horário para conseguir falar com ela é bem restrito: somente uma hora por dia. Sendo assim, é ideal ter uma segunda opção privada em caso de emergência. Para os adultos, você tem um médico de família e ele vai te encaminhar para outros médicos se necessário. Para conseguir a consulta com um especialista pode levar 3 meses ou mais.  Você paga se precisar de atestados ou alguns tipos de exames. Durante este tempo, felizmente não precisamos fazer nenhum intervento mais sério, portanto não posso dizer como funciona.

Itália x Brasil

9) Existe alguma similaridade entre o brasileiro e o italiano?
O italiano, assim como o brasileiro, tem um pouco de dificuldade de se colocar no lugar do outro, como por exemplo, na hora de estacionar, de respeitar a fila… Também tem o mesmo problema de achar que sempre os outros estão errados. Adoram futebol, café e também tem um jeitinho para resolver algumas coisas que nem sempre estão dentro dos procedimentos normais.

10) O que mais sente falta do Brasil?
Além da família, é ter amigos por perto. Os italianos são muito ligados à família e amigos de infância, portanto fica muito difícil ter amigos que se podem realmente contar. Fizemos grandes amigos aqui, mas não se compara ao relacionamento com nossos amigos do Brasil.

A palavra-chave é networking

11) O que aconselha para quem está chegando ou tem planos de se mudar para a Itália?
Estude italiano e faça muitos contatos antes de viajar e quando estiver aqui. O network é a coisa mais importante aqui e vai te ajudar a conseguir lugar pra morar mais facilmente, um emprego e até mesmo ajuda para outras situações. Conquistar a confiança dos italianos é desafiador, mas uma vez conquistada, muitas portas podem se abrir.

 

Esperamos que vocês tenham gostado das dicas! Conheça também nosso canal do Youtube para mais dicas sobre a Itália!